30/08/11

Objectos e Porções

Escolher a quantidade correcta para uma refeição é quase tão importante como o tipo de comida que come. Estes são alguns exemplos de compreender o que é uma porção comparando com objectos do nosso dia-a-dia.


  • Uma porção de frutas ou vegetais equivale aproximadamente à dimensão de uma bola de ténis.
  • Uma dose de pão integral equivale aproximadamente ao tamanho de uma caixa de CD.
  • Uma dose de arroz ou massa cozida equivale aproximadamente ao tamanho de uma concha de sopa.
  • Uma dose de carne branca (ex.:frango, peru) ou de pescado equivale ao tamanho de um baralho de cartas.
  • O tamanho de uma bola de gelado equivale aproximadamente a uma dose de leguminosas.

29/08/11

o Dietista na Santa Casa da Misericórdia

NUTRIÇÃO CLÍNICA

· Realiza de consultas de nutrição / aconselhamento alimentar individual ou grupos específicos

· Controla malnutrição (principalmente no idoso)


RESTAURAÇÃO

· Controla a qualidade, higiene e segurança alimentar

· Gere os serviços de alimentação e dietética


SAÚDE COMUNITÁRIA

· Melhora o estado nutricional e de saúde dos indivíduos e grupos de populações de uma determinada comunidade – actividades com a comunidade

27/08/11

26/08/11

Dinâmica de Grupo - Apresentação - Módulos Dietética e Nutrição


CARTÃO DE IDENTIFICAÇÃO

No âmbito da formação dos módulos de dietética e nutrição, esta é uma excelente ideia para iniciar e apresentar o grupo.

Objectivos: apresentação e coesão do grupo.

Pessoas: toda a turma.

Material: folhas A4 com alguma espessura, canetas e fita-cola

Duração: aproximadamente 15 minutos para um grupo de 12 pessoas. A duração depende do número de participantes.

Concretização: Os participantes escrevem o nome ou alcunha numa folha A4 e desenham o seu alimento preferido. Individualmente cada um diz o seu nome e porque escolheu aquele alimento.

25/08/11

Pensamento del dietista

En todos los lugares donde una adecuada alimentación puede ayudar a mejorar la calidad de vida, los dietistas enseñan, investigan, valoran, guían y aconsejan. La profesión de un dietista-nutricionista lleva implícita en su ejercicio la educación alimentaria y nutricional en cualquieras de los campos donde es posible ejercerla.

La experiencia de hacer Erasmus no pasa solo por los amigos y las fiestas en que se participa, al final cuando coges la universidad donde quieres esa experiencia lo que procuras es sus métodos de educar, las prácticas que desarrollan, el tipo de personal cualificado que sale con diplomatura, etc. Eso y lo demás que no viene escrito o dibujado en las páginas web, pero que si proporcionó aquí, dame la posibilidad de decir que como futura dietista esta experiencia facilitará mi trabajo como profesional de salud y como persona.

Aunque no conozca muy bien la realidad profesional del dietista, sin embargo lo sé que hay algunas diferencias de estos técnicos de salud entre los distintos países del mundo. También reconozco que estas prácticas en la Clínica Universitaria de Navarra fueran una experiencia, que acrecida al facto de ser para mí un país extranjero una oportunidad que pocos la tienen.

Aprendí en estas prácticas que mismo en nuestro pequeño medio de trabajo hay personas de todo el lado, personas que son diferentes de nos mismos por sus ideales, religiones, conocimientos, experiencias, gustos o hábitos alimentarios, etc., pero esas diferencias no hacen una persona con menos derechos a salud, en esto caso, salud alimentaria.

Así, creo que un buen dietista-nutricionista debe estar preparado para todas las diferencias culturales que estará sujeto a cada consulta o cada acción de naturaleza comunitaria, sin olvidar que la base de una buena nutrición es una dieta equilibrada, completa y diversificada.

Pamplona, 24 de julio de 2009

Andreia Ladeira Dias

24/08/11

Aditivos (para que servem?)

Os emulsionantes são utilizados para manter uma dispersão uniforme de um líquido noutro, tal como o óleo e a água. Estas substâncias são usadas em emulsões para facilitar a dispersão de aromatizantes, prevenir a formação de cristais de gelo em produtos congelados e melhorar o volume e uniformidade de produtos assados.

Os estabilizantes e espessantes têm como principal função aumentar a viscosidade do produto final, bem como estabilizar emulsões. (apesar dos emulsionantes não provocarem o cancro, facilitam a entrada das substâncias cancerígenas no interior das células). Óleo e água misturam-se para fazer molhos (maionese) fornecendo textura macia e mole. A mais usada é a lectina.

Os conservantes evitam a acção do tempo nos alimentos e preservam a sua integridade, i.e., aumentam a durabilidade dos alimentos, protegendo-os contra microrganismos como fungos, bolores e leveduras, permitindo o transporte entre longas distâncias e armazenamento dos alimentos (não são o peixe e a carne fresca que têm conservantes, mas as suas embalagens).

Os antioxidantes são compostos que previnem a deterioração dos alimentos por mecanismos oxidativos, aumentando assim o tempo médio de vida (sopas secas, queijo barrar, salsichas).

Os aromas ou intensificadores de sabor, repõem aromas que se perdem no processamento ou apenas atribuem sabor. O sal é um bom intensificador de sabor, quando em doses normais, potencia o sabor natural dos ingredientes mais intenso.

Os corantes podem ser naturais. A grande maioria é derivada de extractos de plantas, apresentando algumas desvantagens: instabilidade quando expostos à luz e ao calor, insolubilidade em água, a presença de aromas ou odores indesejados.